quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Shikamaru Hiden - Capítulo 3: Shikamaru (Parte Dois - Tradução)

A novela "Naruto - Shikamaru Hiden: Yami no Shijima ni Ukabu Kumo" lançada em 04 de março, traz um aventura inédita com Nara Shikamaru, dois anos após a Quarta Guerra Mundial Shinobi. A novela é escrita por Takashi Yano, e possui 224 páginas.


Os capítulos da novela serão traduzidos para o português a medida que a versão em inglês seja liberada. Confira a segunda parte do capítulo três (o livro original não faz separação dos capítulos em partes, ela será feita nesta tradução para tornar a leitura menos massante). Para ver outras partes do livro acesse aqui.

------------------------------------------------------------------------------ 
Capítulo 3 - Shikamaru (Parte Dois)

Por uma fração de tempo, Temari se sentiu aliviada. Ela tinha chegado até Shikamaru a tempo.

Após aquela conversa com Gaara, Temari dirigiu-se até Konoha e questionou Naruto. O ninja loiro não teve nenhuma resposta para ela.

Mas, assim como Temari, Naruto tinha um sentimento estranho de que algo não estava certo com Shikamaru ultimamente. Ino e Chouji foram consultados, e seus sentimentos de incerteza reforçaram sua percepção, Naruto levou Temari até Kakashi para pressioná-lo por respostas.

O discurso esquentado de Naruto incomodou Kakashi por um lado, Temari comunicou que poderia requerer reforços de Suna pelo outro lado. E, finalmente, ele cedeu.

Sob a promessa de que eles não agravariam a situação, foi dado o consentimento para os shinobi de Sunagakure agirem.

Temari tinha feito arranjos prévios com sua vila para que seu reforço pudesse começar a agir imediatamente, se necessário. Logo que conseguiu o consentimento de Kakashi, Temari enviou uma mensagem para sua vila e, em seguida, partiu em direção ao País do Silêncio. No caminho, ela se encontrou com o grupo shinobi de Sunagakure que Gaara estava liderando.

No momento em que entraram no país, eles começaram a escolher pessoas úteis para interrogatório.

Neste ponto, já tinha 10 dias desde que Shikamaru estabeleceu-se no País do Silêncio. Temari estava perdendo sua presença de espirito em sua pressa, e seus interrogatórios se tornaram mais graves. Pouco tempo depois, um homem que se chamava 'iluminado' deixou escapar que um shinobi de Konoha tinha sido feito prisioneiro dentro do castelo do país.

Assim que ela soube, o resto foi fácil.

Eles se infiltraram no castelo por uma blindagem de areia feita por Gaara. Temari levou sua pequena armada pelos corredores, retirando os guardas do caminho antes que pudessem acionar o alarme, e, lentamente, furtivamente fazendo seu caminho para o grande salão. E também foi na hora certa, Shikamaru estava quase a ponto de dar sua lealdade a Gengo.

No momento que Temari viu Shikamaru sendo afetado pelo discurso de Gengo sobre os shinobi regerem o mundo, ela perdeu todo seu autocontrole.

Shikamaru não era o tipo de homem que se deixa influenciar por esse tipo de porcaria!

Quando Temari explodiu as portas do salão e entrou dentro dele, seu corpo não estava sendo comandado por ela. Ela foi alimentada por uma fúria adulterada.

Ouvindo que era um genjutsu, ela sentiu-se aliviada...

Depois de acordar, Shikamaru voltou a ser o homem que ela conhecia. Ele tinha enfrentado Gengo com o nariz sangrando e os habituais olhos preguiçosos, e apenas essa visão tinha sido suficiente para fazer Temari sentir que tudo até agora tinha valido a pena.

"Você não devia ser tão distraída."

Foi um shinobi de Konoha que disse isso, com um sorriso mecânico em seu rosto. O pincel que segurava tinha dado vida a incontáveis tigres e lobos agora. Neste momento, ele criou um tigre branco que impiamente rosnava. Fora todos os animais de tinta que ele criou, este parecia o mais perverso.

Se ela lembrava direito, o nome do cara era Sai...

Companheiro de equipe de Naruto e Sakura.

"Distraída? Eu não sou a única a repetir o mesmo ataque outra vez." Temari murmurou baixinho, e balançou seu tessen, contorcendo todo seu corpo no movimento.

O vento de seu tessen transforma-se em uma doninha empunhando uma foice: Kamatari. Ele torce e balança seu corpo, juntamente com o vento, se lançando contra o tigre e cortando sua garganta com sua foice. O tigre de Sai se desfez de volta em tinta, esparramando-se pelo chão.

"É admirável que você não tenha nenhuma hesitação." Sai comentou.

Temari se virou para olhar de onde a voz tinha vindo. 

Se foi!

Quando ele desapareceu, e para onde?

Ela ainda não teve tempo para acompanhar seus movimentos com os olhos...

"Um shinobi que não pode ver através do meu Sumigasumi-Shunshin¹... não existe."

Sai havia se teletransportado para trás dela.

Ele estava prestes a acertá-la com uma punhalada.

Ela não seria capaz se virar a tempo.

Esquerda ou direita?

"Ah, dane-se!"

Ela teria que fazer uma aposta.

Em silêncio esperando uma lâmina que não veio. Temari virou seu corpo para a direita. A garra do tigre veio na direção dela, errando sua sobrancelha esquerda.

"Ingênua demais." A voz de Sai estava fria o suficiente para dar calafrios até a espinha de uma pessoa. 

Quando ele tinha teletransportado na frente dela?

"Droga!"

Temari balançou seu tessen ao redor de seu corpo como um escudo. Seu leque foi construído para que as dobras fossem fortes o suficiente para desviar lâminas de ferro. Ela estava completamente protegida contra armas como a kunai.

Mas...

"Guh!"

Temari entrou em colapso onde estava, uma dor aguda penetrou seu abdômen.

"A manipulação de chakra... É minha especialidade." Disse Sai, com uma clara, e inocente voz. A kunai que estava segurando tinha perfurado em linha reta através do leque de guerra de Temari até seu estômago.

Havia algo envolto na arma, como a névoa.

Chakra.

Ele havia envolvido a kunai com chakra tão espesso que você podia realmente vê-lo. Força e agudez da lâmina devem ter aumentado dez vezes...

"Não importa o quão duro você lute, nenhum de vocês serão um desafio para Gengo-sama." Disse Sai. "No final do dia, nos 'iluminados' seremos aqueles que controlarão o mundo."

"Isso... é realmente o que você quer?"

"Sim." Sai abriu um sorriso em seu rosto. Ele não parecia alguém sob um genjutsu. Uma fé inabalável por Gengo estava pintada por todo o rosto de Sai.

Mas... 

"Então..." Temari disse com dificuldade. "Por que você está chorando?"

A lágrima que tinha escapado do olho esquerdo de Sai não passou despercebida por Temari.

Nas profundezas de seu coração, ele estava em conflito.

"Eu não estou chorando." Sai rangeu os dentes, apertou sua kunai, preparando-se para a estocada final.

Temari prendeu a respiração.

"RECOMPONHA-SE E ACORRRRRRRRRRDEEEEEEEEEEE!!"

De repente, Sai teve os pés varridos pela barulhenta kunoichi. Ele foi jogado para fora do campo de visão de Temari, sua kunai usada para apunhalá-la caiu ruidosamente ao chão.

"Você está bem?" Uma kunoichi perguntou apoiando-se sob a colapsada Temari.

"Sa... Sakura?"

"Espere, não fale agora." Sakura disse. "Vou fechar a ferida em seu estômago."

Chakra rodeava a mão da kunoichi enquanto ela suavemente pressionava contra a ferida aberta de Temari. Ondas quentes de chakra envolviam seu estômago.

"Espere... e o Sai?"

"Está tudo bem, nossos companheiros estão lidando com ele."

"Ah?". Temari virou seu olhar na direção em que Sai tinha sido arremessado.

Alguém estava imobilizando Sai, onde ele havia sido jogado por Sakura.

Gigante...

Sem engano. Aquele homem gigante era definitivamente o melhor amigo de Shikamaru.

"Chouji!" A kunoichi de longos cabelos gritou atrás dele. "Você continue mantendo ele assim!"

"Shikamaru estava em perigo, mas os shinobi de Konoha não se mobilizaram para ajudá-lo." Sakura imitou o comentário de um cidadão enquanto curava o estômago de Temari. "Seria realmente irritante se as coisas terminassem assim, então..."

Havia dois shinobi de pé trás de Sakura, ambos cobertos de feridas. Um deles era um homem de meia idade com uma temível cara. A outra era uma garota muitos anos mais jovem do que Temari.

Temari rangeu os dentes de dor por conta de sua ferida, e se virou para falar com Sakura mais uma vez.

"Ele está sob... um genjutsu..."

"Está tudo bem." Sakura assegurou. "Já ouvi destes dois."

Os dois shinobi de pé atrás dela balançaram a cabeça em afirmação as suas palavras.

"Bem! Está tudo preparado!" A kunoichi de cabelos compridos gritou para Chouji, estendendo as palmas das mãos.

Sai estava lutando furiosamente sob o corpo gigante de Chouji, o rosto dominado pela sede de sangue. Ele rosnava mostrando os dentes, com os seus caninos aguçados.

"Técnica Ninja - Shintenshin no Jutsu!" A kunoichi de cabelos compridos gritou.

"Enquanto o jutsu de Ino funcionar, ele estará bem." Murmurou Sakura.

Chouji liberou Sai, recuando.

Sai ficou de pé.

Foi num instante.

Como se atingido por um raio, um tremor atravessou o corpo de Sai, ele parou de se mover. Do outro lado, em perfeita sintonia com ele, o corpo de Ino tinha endurecido também.

"Ahh, lá vamos nós. Está tudo bem agora." Sakura lentamente removeu sua mão.

A dor no estômago de Temari tinha desaparecido completamente.

--------------------------------------------------

Ino estava mergulhado dentro da escuridão. Mais e mais fundo ainda.

Ela ainda não tinha encontrado Sai.

Não importa o quanto ela mergulhou e mergulhou, tudo que cercava Ino era uma profunda, obscuridade manchada por tinta.

Este era Sai, depois de tudo. Ele não estava plenamente consciente de que o seu verdadeiro eu estava em um quotidiano. Ele não seria facilmente encontrado.

Mas ela estava indo para salvá-lo, não importasse o que...

Se por acaso Ino não pudesse salvar Sai, sua vinda até aqui não teria sentido.

Ela desesperadamente continuou se debatendo através das camadas do coração de Sai.

O Shintenshin no Jutsu pode mover o corpo de outra pessoa de acordo com sua vontade, e o método exerce influência a partir do interior do coração das pessoas. Durante os Exames Chuunin, Ino claramente percebeu isso quando tinha lutado contra Sakura pelo controle do coração desta última.

De volta a Konoha, ela lera uma carta de Sai, ver sua caligrafia gerou um confuso e caótico sofrimento que ela não conseguia compreender. Naquele momento, Ino tinha sentido o sofrimento de Sai tão intensamente que doía.

Até aquele momento, Ino não tinha visto sinal de Gengo ou seu genjutsu ou qualquer outra coisa, mas ela tinha claramente em mente seguir em frente. Claro, era queria salvar Shikamaru também, mas o estopim para Ino começava por tirar a angustiada carta de Sai de jogo.

Sai, que estava constantemente preocupado com o vazio de seu coração, estava sofrendo mais do que ninguém sob o genjutsu de Gengo. Não havia mais ninguém que pudesse salvar Sai do que Ino.

E foi por isso que ela estava determinada a manter a incursão, não importasse o quão profundo tivesse que ir.

Quando você mergulha profundo demais no coração dos outros, a primeira coisa que irá acontecer e sua própria existência começar a diluir pelas bordas.

A última coisa que poderia acontecer é sua consciência desaparecer completamente nessas profundidades. Se isso acontecesse, não haveria como voltar atrás.

Havia uma razão para Ino se arriscar tanto para salvar Sai.

... Ela queria poder falar mais com ele.

Sai sempre deu sorrisos solitários, ela queria conhecê-lo mais e mais.

Não havia maneira de ela deixá-lo em um local escuro como esse.

Logo, Ino começou a sentir um pouco de calor vindo da escuridão. Uma fraca luz...

Ela se depara com uma grande quantidade de chakra. Uma mistura de chakra de pessoas...

Naruto.

Sakura.

Yamato.

Kakashi.

Todos os shinobi de Konoha estavam lá.

Era como um solitário fogo ardente no meio de uma nevasca.

Ino mergulhou um pouco mais, os olhos examinando o gigante emaranhado, procurando no meio de todos os chakra.

Lá estava ele...

Encapsulado no meio de todo aquele ardor estava Sai.

"Sai!" Ino aproximou-se dele em desespero. "Por aqui!"

Sai olhou na direção da voz. Ambos os olhos estavam vermelhos e inchados de tanto chorar.

"Vamos." Disse Ino. "Vamos sair daqui juntos."

"Você é..."

Ino estendeu a mão, sua mão finalmente tocou o ombro de Sai, firme e tranquilizadora.

"Vamos, está bem?" Ela disse.

Naquele momento, Sai sorriu.

Ino nunca tinha visto ele sorrir tão naturalmente antes.

--------------------------------------------------

Ino estava respirando fundo e alto, com se ela tivesse acabado de sair pela superfície de um oceano muito profundo. Ela tomou grandes golfadas de ar, seu corpo desesperado por oxigênio.

A escuridão tinha sido deixada para trás, agora o cenário era repleto de luz.

Sakura e Chouji estavam montando guarda. Ino estava na frente de Sai dormindo.

"Como foi, Ino?"

Embora tivesse ouvido a pergunta de Chouji, Ino estava muito cansada para responder.

A cabeça de Sai estava próximo do joelho de Ino. Lentamente, seus olhos se abriram.

Antes de ela perceber, eles tinham apertado as mãos juntos.

"Sai."

"Você..." Sai murmurou atordoado, apertando seu braço. "Você era..."

"Você pode parar de se preocupar." Lágrimas começaram a brotar dos olhos de Ino.

"Obrigado, Bijin-san. (Senhorita Bonita)" 

"Idiota..."

Os dois sorriram gentilmente um para o outro.

Nota¹ - Variação de Sai para o Shunshin no Jutsu, "Técnica do Deslocamento Instantâneo".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...